Assim como no Brasil e no resto do mundo, o impacto do Coronavirus na Irlanda tem sido enorme. Aqui nós resumimos as principais mudanças e como isso impacta os intercambistas indo para a Irlanda.

A crise de saúde em si, o principal Impacto do Coronavirus na Irlanda

A Irlanda está passos a frente do Brasil na superação da crise da Covid-19. São 3 motivos para isso:

  • O pico de infecções já passou há mais de 60 dias e os novos casos estão sob controle
  • Existiu um controle mais coordenado do enfrentamento
  • Possuem um suporte econômico mais forte para suportar as pessoas que estão tendo de ficar em casa
Comparativo Coronavirus no Brasil e na Irlanda - EunaIrlanda.com.br
Comparativo Coronavirus no Brasil e na Irlanda – EunaIrlanda.com.br

Sendo assim, o país já começou o seu plano de reabertura que tem ótimas chances de ser sustentável. Em 18 de maio começaram a retomar algumas atividades, dia 8/junho mais algumas e até o final do mês bares e restaurantes já poderão reabrir.

Com isso, a expectativa é que a economia por lá volte a rodar muito mais cedo que o Brasil, apesar do primeiro caso de Covid-19 ter chegado lá na mesma semana que chegou ao Brasil (pelo menos segundo as informações oficiais).

Queda no PIB e Desemprego

A parada força gerada pelo Coronavius, está fazendo a máquina da economia parar momentaneamente.

A queda no PIB é estimada em pelo menos 7%, podendo chegar a 10%, o que é similar à algumas estimativas mais pessimistas no Brasil. Por lá, a expectativa também é de recuperação “completa” somente em 2022.

Coronavirus na Irlanda - Desemprego Real e Ajustado Fonte - cso.ie
Coronavirus na Irlanda – Desemprego Real e Ajustado Fonte – cso.ie

Por outro lado, o desemprego por lá parece muito menos impactante. Enquanto no Brasil mais de 25% da população precisou de ajuda do governo, na Irlanda o número chegou a quase 600 mil, que é menos de 20% da população. Por lá, também estão pretendendo estender o apoio financeiro aos profissionais com renda suprimida ou reduzida.

Ao passo que lá o desemprego real é de 5,6%, aqui no Brasil passamos de 12% e o governo está preferindo omitir esta informação por agora.

Eles também divulgam o “desemprego ajustado” que considera todos que estão “temporariamente” desempregados por conta da quarentena. Neste caso, o número foi de 26% em maio/2020.

Ou seja, como sempre, as crises em países (emergentes) como o Brasil sempre são mais doloridas. Não é de se esperar um mercado de trabalho tranquilo na Irlanda, mas certamente ainda bem melhor que o do Brasil

Turismo na Irlanda e Empregos para Intercambistas

O Turismo representa cerca de 6,2% do PIB Irlandês e é uma fonte de receita importantíssima para o país, assim, podemos esperar incentivos da Irlanda para esta retomada.

A Irlanda vem de um crescimento constante, recebendo investimentos e empresas de outros país, o que fez com que a demanda de profissionais qualificados aumentasse. Grande parte das empresas são de tecnologia e saúde, por isso não devem ter um grande impacto para quem pensava em ir para Irlanda por conta destas oportunidades.

Garconete no Pub Irlandês - Foto ELEVATE, Pexels
Garconete no Pub Irlandês – Foto ELEVATE, Pexels

Por outro lado, o mercado de Turismo no mundo inteiro vai sofrer por conta das restrições: limitação de assentos ocupados no avião, quantidade de pessoas nos restaurantes etc. Isso significa menos oportunidades de empregos na Irlanda para intercambistas que costumam ocupar boa parte destas posições.

Eu tive a “oportunidade” de estar na Irlanda no início da crise de 2008, trabalhando como garçom e vivendo o dia-a-dia. A mudança de perfil de pessoas trabalhando como garçom e em supermercados foi notório.

A priori, eram pouquíssimos irlandeses, alguns europeus e muitos brasileiros e outros com visto de estudante. Meses após o início da crise, muitos irlandeses passaram a ocupar estes postos de trabalho.

Ou seja, se houver um impacto no mercado de trabalho “qualificado” da Irlanda, os menos qualificados ficarão ainda mais competitivos, reduzindo a demanda (queda e limitações no turismo) e aumento da busca destas vagas pelos irlandeses.

Conclusão para o intercambista, qual o impacto do Coronavirus na Irlanda?

O primeiro e mais importante deles é em relação à saúde: enquanto não temos vacina ou remédio, é muito importante garantir que seu seguro viagem cubra eventuais despesas com uma contaminação por Coronavirus. Intercambistas normalmente não são grupo de risco da Covid-19, por conta da idade, nem por por isso devem descuidar-se!

Impactos do Coronavirus na Irlanda -Foto energepic.com, Pexels
Impactos do Coronavirus na Irlanda -Foto energepic.com, Pexels

A retomada do ano letivo para os estudantes regulares da Irlanda (escola primaria, universidade etc.) será em agosto. A partir de lá, começaremos a ter melhor visibilidade de quando novos estudantes internacionais poderão pousar no país.

Fazendo estimativas, considerando que o Brasil deve superar o pior da crise em outubro, a projeção otimista é que os embarques para Irlanda deverão recomeçar entre final deste ano e o primeiro trimestre do ano que vem.

Para quem vai para o intercâmbio de trabalho e estudo (cursos de 6 meses inglês ou graduação) e está contando com o dinheiro do emprego para se manter por lá, é importante estar com a reserva financeira em dia e com a disposição em alta para correr atrás.

Não vai ser tão difícil quanto no Brasil, mas também não vai ser tão simples quanto as vezes fazem parecer!

Pronto para embarcar para Irlanda? Preencha o formulário abaixo e fale com as melhores agências de intercâmbio para a Irlanda.


Homero Carmona

Viajante, pisou na Irlanda em 2008 para a experiência que mudou completamente a sua vida, o intercâmbio. Desde então viajou o mundo e se dedica inspirar mais pessoas a desbravar este mundão maravilhoso!